Uma pausa com Alves Redol

Diz o Mestre Feliciano à afilhada:

“«O Mar e a Lua são companheiros. Andam sempre juntos. É um casal que se entende bem. Quando a Lua se zanga, o Mar escoicinha. E a gente é que paga. O Mar tem oito dias de refôlego e oito dias a morrer. No quarto crescente tem pontas de maré; no quarto minguante as águas estão mortas; andam fracas e o teu pai traz o saco da rede sem peixe. É uma coisa que me quebra a cabeça, esta da Lua e do Mar. Tão longe um do outro… Naturalmente é por isso que se dão bem.»”

Alves Redol, em Avieiros (1942).

Lua e Mar

Fotomontagem

Esculturas com sabor a mar

Ontem (Domingo), ao final da tarde, passei por Dunsborough, pequena vila costeira
cerca de 250 km a sul de Perth, eleita em 1999 melhor destino turístico da
Austrália Ocidental. Conta com pouco mais de 3.000 habitantes, mas muitos têm
veia artística, como constatei através da exposição de esculturas de talentos
locais. O mar e os seres que o habitam são a fonte de inspiração para a maioria
das obras apresentadas. Ora veja:

dunsborough 1 Continue reading