“Sombras na água”

lisboa-3 (683x1024)

“Thus did I by the water’s brink

Another world beneath me think;

And while the lofty spacious skies

Reverséd there, abused mine eyes,

  I fancied other feet

  Came mine to touch or meet;

As by some puddle I did play

Another world within it lay.”

Excerto do poema Shadows in the water, de Thomas Traherne (1636 ou 1637 – 1674)

Pequenos monstros

Os pequenos e divertidos monstros que patrulham a margem do Tejo, entre o restaurante Portugália e a discoteca Urban Beach, em Lisboa, lembram a quem passa que há seres que habitam o rio e o mar onde ele deságua. Não é uma associação óbvia, pois em certos casos pouco resta das espécies originais nas criaturas pintadas nos cabeços onde se amarram os barcos. No entanto é fácil identificar, por exemplo, os tubarões e o polvo (e a ave e a vaca) que terão inspirado a artista italiana que os pintou, em 2011 (fonte: Galeria de Arte Urbana).

Continue reading