O ameaçado opossum-cauda-de-anel-ocidental (“Pseudocheirus occidentalis”)

O objectivo principal do “safari nocturno” era encontrar um opossum, animais activos durante a noite. Aqui, no sudoeste da Austrália Ocidental há duas espécies: o cauda-de-anel-comum (Pseudocheirus peregrinus) – common ringtail possum – que, como o nome indica, é bastante frequente; e o cauda-de-anel-ocidental (Pseudocheirus occidentalis) – western ringtail possum -, ameaçado, com estatuto de conservação “Em Perigo”.

western ringtail possum 1

Continue reading

Safari fotográfico nocturno

O Nick, um amigo australiano que vive em  Busselton, 200 km a Sul de Perth, convidou-me para um safari fotográfico nocturno no seu quintal. Não exagero (muito) ao usar a palavra “safari”. Na escuridão do quintal, rodeados de sons dos mais diferentes animais e cobertos por um incrível céu pejado de estrelas, facilmente esquecíamos que a “civilização” estava apenas a alguns metros.

green tree frog 1

Continue reading

Lagarto de cauda curta (“Tiliqua rugosa”)

É inofensivo, mas o tamanho – e o aspecto –  impressiona: mede cerca de 29 centímetros (do focinho à cloaca) e pesa até 900 gramas. O nome mais popular é Bobtail (“cauda curta” ou “cauda cortada”) – Tiliqua rugosa -, mas tem muitos outros, como lagarto-de-língua-azul (Blue tongue lizard) ou lagarto-dorminhoco (Sleepy lizard). A língua é realmente azul e são, de facto, animais lentos que gostam de se aquecer ao sol.

bobtail-3 (1024x664)

Continue reading

Viajar no tempo

Os lugares que apelidamos de “parados no tempo” têm o condão de fazer-nos viajar. Os primeiros dois exemplos que me ocorreram diferem bastante um do outro: a Aldeia da Pena, com toda a calma que transmite; o Coliseu de Roma, com a sua inquietante atmosfera. A sensação de viagem é tão mais vívida quanto menos indícios do presente existirem, ou seja, o impacto de passear numa rua ladeada de edifícios do século XIX é maior se esta estiver vedada ao trânsito, se não possuir semáforos, etc..

busselton-1 (800x533)

Continue reading

O cantor que gosta de néctar (“Lichenostomus virescens”)

O nome comum – Singing Honeyeater (comedor-de-néctar cantor) – deve-o às cantilenas madrugadoras que duram até uma hora. Este Lichenostomus virescens tem o aspecto típico de um comedor-de-néctar (“honeyeater”). No entanto, em comparação com o primo New Holland Honeyeater, apresenta plumagem menos exuberante: cinzenta, apenas com eyeliner preto e sombra amarela.

singing honeyeater 1

Continue reading

Willie Wagtail – o passarinho que nos vê como… gado

Quando apresentei o cauda-de-leque-cinzento ((Rhipidura fuliginosa) referi que, em prados e relvados, tem o hábito de seguir “os passos das pessoas à espera de capturar os insectos que se desviam das pisadelas humanas”. Este comportamento é particularmente observável no Willie Wagtail (Rhipidura leucophrys).

willie wagtail 1

Continue reading

O apreciador de néctar (“Phylidonyris novaehollandiae”)

Aqui na Austrália há várias espécies de aves conhecidas por “comedores de néctar” (honeyeaters). Uma delas é esta New Holland Honeyeater (Phylidonyris novaehollandiae), muito parecida com a prima comedor-de-néctar-de-bochechas-brancas, mas com uma clara diferença: a P. novaehollandiae tem o olho branco (a prima tem o olho preto).

new holland honeyeater 1 (800x533)

Continue reading