Uma pausa com Miguel Torga

” (…) Livre não sou, mas quero a liberdade.
Trago-a dentro de mim como um destino.
E vão lá desdizer o sonho do menino
Que se afogou e flutua
Entre nenúfares de serenidade
Depois de ter a lua!”

Excerto do poema Conquista, de Miguel Torga, em Cântico do Homem (1950)

nenufar-1 (1024x683)

Related posts / Posts relacionados: