Aves fogem de tornado um dia antes de ele chegar

Como por vezes acontece na ciência, a descoberta deu-se por acaso. Para estudar as rotas migratórias da felosa-de-asas-douradas (golden-winged warblers), Henry Streby e os seus colegas da Universidade da Califórnia, EUA, colocaram um geo-localizador de 0,5 gramas nas costas de 20 destas aves (que pesam cerca de 9 gramas). Depois de passarem o Inverno no Sul, as felosas viajaram mais de 2.400 km até à sua área de reprodução nas Montanhas Apalaches. Até aqui tudo bem. No entanto, quando os investigadores analisaram os dados depararam-se com uma inesperada nova migração: depois de regressadas, as aves deram uma voltinha de mais de 1.500 km durante 5 dias.

golden-winged warbler

Felosa-de-asas-douradas (Vermivora chrysoptera). Foto: Walt Ford, U.S. Fish and Wildlife Service

O “passeio” coincidiu com a chegada de uma super-tempestade que, em Abril deste ano, originou 84 tornados e matou 35 pessoas. As felosas “fugiram” mais de 24 horas antes da chegada da tempestade, quando esta ainda estava a distâncias que variavam entre os 400 km e os 900 km (dependendo da ave). Como é que sabiam que a tempestade aí vinha? Num artigo publicado esta semana na Current Biology, Streby e colegas explicam que provavelmente ouviram os infra-sons produzidos pelos tornados e que se propagam a cerca de 1.000 km de distância.

Related posts / Posts relacionados: