Estorninho-preto: o “sósia” do melro

Nas cidades, onde é comum, geralmente forma pequenos bandos e vê-se sobretudo nos ramos das árvores mais altas ou nas antenas de televisão. No campo, junto a zonas cultivadas, aglomera-se em grupos de centenas ou milhares de indivíduos. 

Estorninho-preto (Sturnus unicolor), Cabo Espichel, Sesimbra

Parece um melro devido à plumagem preta e bico amarelo, mas o estorninho-preto (Sturnus unicolor) distingue-se por ser mais pequeno (mede cerca de 21 centímetros de comprimento, contra os 24 cm do melro), mais estridente, mais brilhante, e por ter uma postura mais vertical.

Estorninho-preto (Sturnus unicolor), Odivelas

Também podemos confundi-lo com o estorninho-malhado (Sturnus vulgaris), mas este só nos visita no Outono e no Inverno (o S. unicolor é residente) e, como o nome indica, tem o corpo pintalgado de manchas brancas.

Estorninho-preto (Sturnus unicolor), Parque das Conchas, Lisboa

Omnívoro – tal como nós –, alimenta-se de frutos, insectos e restos da alimentação humana.

Existe em Portugal, Espanha, França, Itália e Reino Unido (Gibraltar).

Related posts / Posts relacionados: