Sons da Lua

Hoje é dia de Lua Azul. O que quer isto dizer? Tão só que a Lua estará cheia, pela segunda vez neste mês. O acontecimento não é assim tão raro, ao contrário do significado da expressão once in a blue moon. De facto, como o ciclo lunar dura 29,5 dias, a Lua Azul aparece a cada poucos anos – a anterior surgiu em 2009 e a próxima será em 2015. Certo é que hoje muitos olharão à noite para o céu em busca do satélite da Terra e, segundo a NASA, há até a possibilidade de surgir azulado em alguns pontos dos Estados Unidos, devido às partículas emitidas pelos vários incêndios florestais que assolam o país – durante a erupção do vulcão Krakatoa, Indonésia, em 1883, a Lua “ficou” mesmo azul. Este corpo celeste inspira há muito poetas e músicos, e figura no título de algumas das melhores e mais célebres canções. Eis o meu Top 10 de músicas sobre a Lua: Continue reading

A mensagem mais importante

A revista SEED recupera o desafio lançado pelo físico teórico Richard Feynman* (1918 – 1988) numa palestra e pergunta a 11 eminentes pensadores de diferentes áreas: “Se um cataclismo levasse ao desaparecimento de todo o conhecimento científico, e se só pudéssemos passar uma frase às gerações futuras, que mensagem conteria a maior quantidade de informação, num menor número de palavras?”

Continue reading

Uma pausa com…

… Robert Frost*

The bear puts both arms around the tree above her
And draws it down as if it were a lover
And its choke cherries lips to kiss good-bye,
Then lets it snap back upright in the sky (…)”

in The Bear

“A ursa envolve com ambos os braços a árvore que lhe é mais alta / E puxa-a para baixo como se fora um amante / E as suas cerejas esmagadas fossem lábios num beijo de despedida / Depois larga-a para que de novo se erga  em direcção aos céus (…)”

* poeta norte-americano (1874-1963)

 

Rapina todo-o-terreno

A águia-de-asa-redonda (Buteo buteo), também conhecida por bútio, é uma das aves de rapina mais comuns (mais de 2.000 casais) e mais fáceis de observar de norte a sul do país (nos Açores existe a subespécie B. b. rothschildi e na Madeira a B. b. harterti). Para tal, basta que esteja com atenção aos postes de cercas, de electricidade e de iluminação junto às estradas, locais onde ela poisa com frequência. Encoste, baixe o vidro, mas não saia do carro, ou ela voará para longe. Foi o que aconteceu no fim-de-semana passado, quando tirei a foto em baixo. Não baixei o vidro, no entanto, quando parei o carro não reparei que o bicho estava em contraluz. Por isso avancei mais uns metros, mas o barulho do motor afugentou-o.

Continue reading

Ele esteve lá

RIP Neil Alden Armstrong (5 de Agosto de 1930 – 25 de Agosto de 2012)

 

That’s one small step for a man, one giant leap for mankind“.

Como não há vento na Lua a sua pegada perdurará mais do que o seu feito: cerca de 1 milhão de anos.

De onde veio o camaleão algarvio?

Se está no Algarve, entre Lagos e Vila Real de Santo António, esteja atento às vedações à beira de pinhais, dunas e pomares, pois muitas vezes estas servem de caminho para o camaleão (Chamaeleo chamaeleon), réptil insectívoro e arborícola, passar de uma árvore para outra. Estes animais, cujos olhos movem-se de forma independente um do outro, são famosos pela sua capacidade de mudar de cor consoante o meio em que se encontram, o que dificulta a sua detecção – a cor também depende do estado emotivo, da idade e do sexo dos indivíduos.

Continue reading

A ave anteriormente conhecida por gaivota-argêntea

A Larus michahellis é a gaivota mais abundante na costa portuguesa, e é fácil de observar em qualquer praia, arriba ou porto de pesca. Esta espécie omnívora está muito bem adaptada à presença humana, alimentando-se em lixeiras e dos restos da actividade pesqueira.

 

Um estudo realizado em Trébéron, França, mostrou que a proporção do lixo produzido pelos humanos na dieta desta espécie variava entre 61% e 85%. Continue reading

A canibal

O louva-a-deus (Mantis religiosa) é um predador voraz de várias espécies de insectos que captura de emboscada, prendendo-os com as fortes patas anteriores transformadas em garras (e que lembram a pose de alguém a rezar, facto que está na origem do seu nome). A refeição começa pela cabeça. No caso das fêmeas de louva-a-deus, este hábito alimentar e decapitador ocorre também durante a cópula.

Continue reading